domingo, 24 de maio de 2015

Resenha: Que Falta Você Me Faz/Harlan Coben

Poucas vezes lendo um livro eu consigo me desligar totalmente do que está acontecendo ao meu redor, lendo Harlan Coben eu simplesmente perco o ponto do ônibus, perco a hora, nada mais importa, apenas o livro. "Que Falta Você Me Faz" é um desses livros, que é impossível parar de ler.

Acabei de ler o livro e sabe quando, não cai a ficha? Você fica sem saber o que pensar de tão eletrizante que é o livro. Sei que pode parecer clichê, mas ler Harlan Coben é uma certeza de que não irei largar o livro de jeito nenhum. Esse foi meu vigésimo primeiro livro do Harlan e acredito que posso falar com propriedade sobre a escrita do mestre, sim, ele sempre nos transporta para as mais diversas situações com os personagens, e sempre, nos surpreende, mas “Que Falta Você Me Faz” tem uma particularidade: as descrições, elas estão muito bem feitas, cada sentimento, cada lugar é construído pelos mínimos detalhes e parece que estamos em Nova York, o livro funciona como um ótimo guia para quem pretende conhecer a cidade.

Kat é uma detetive da polícia de Nova York, que tem em sua vida dois grandes marcos: 18 anos atrás seu pai que também era policial fora assassinado e também há 18 anos o grande amor da vida de Kat, Jeff, lhe dera um grande pé na bunda. Depois desses dois fatos ela nunca mais foi a mesma, em primeiro lugar ela sempre achou que havia algo mal explicado na morte de seu pai em segundo, por mais forte que ela fosse, nunca conseguira esquecer o Jeff. Ela constantemente fazia perguntas a si mesma, mas nunca conseguia respostas.

Tudo começa a mudar, primeiro quando Stacy, a melhor amiga de Kat, cria um perfil no site de encontros, Você Faz Meu Tipo, para Kat e quando ela está navegando pelos perfis dos possíveis novos pretendentes ela encontra um rosto conhecido, e fica muito intrigada já que o nome não se encaixa, sim, a foto do perfil era do Jeff, mas o nome não, além disso no perfil dizia que ele era viúvo e tinha uma filha, Kat não sabia o que sentir e resolve depois de muito relutar enviar uma mensagem, mas acaba ficando ainda mais intrigada e perdida quando recebe uma resposta que não estava esperando. Ela resolve que é melhor deixar isto de lado e se concentrar no que realmente importava: o suposto assassino de seu pai estava com um câncer terminal, restava apenas poucos dias de vida a ele, Kat então decide fazer mais uma tentativa de descobrir a verdade sobre seu pai e os resultados dessa busca, faz com que ela não sabia mais em que acreditar.

Nesse emaranhado de questões que Kat fica se perguntando, surge um adolescente, Brandon, ele a procurava para relatar um suposto desaparecimento de sua mãe, mas Kat não fica muito convencida com o que o Brandon fala, embora como boa detetive, simplesmente não conseguia ficar sem resolver um caso e se envolve em mais um mistério.

Quando todos os fios soltos parecem se conectar, Kat fica em dúvida se está deixando suas emoções ou seu instinto de policial falar mais alto, a única certeza que ela tem, é que está na hora de encontrar todas as verdades custe o que custar.

Kat é uma mulher forte e bem sucedida no trabalho, mas não no amor. Coben nos faz questionar nossas próprias escolhas, e nos colocamos no lugar dos personagens para perguntar a nós mesmos: será que faríamos a mesma coisa? Será que contaríamos a verdade, mesmo que ela fosse destruidora? Além disso Coben, faz também um alerta para todos que buscam amor nas redes sociais, que são tão comuns atualmente.

Você abandonaria sua vida para não destruir a de quem você ama? Até onde você iria por amor? E até onde em busca de verdades? Prepare-se para ficar algumas noites acordado descobrindo estas respostas.

363 páginas que parecem 100

Algumas considerações finais:

1) Para quem é #MyronBolitarLover, este livro é leitura mais que obrigatória, tem muitas referências que nos fazem lembrar nossos queridos personagens, Myron, Win, Esperanza e Big Cindy.

2) Este é um dos livros mais musicais do Harlan, em todo momento tem música rolando, o que é demais, pois acabamos descobrindo o gosto musical do mestre! O próprio título em inglês "Missing You", foi baseado numa música com mesmo nome.