domingo, 9 de agosto de 2015

Resenha da Semana: Felizes Para Sempre/Nora Roberts

Terminei o livro com um sorriso no rosto, com olhos marejados e um coração apertado de felicidade e um pouco triste por ser o último livro da série, mas Parker, Mac, Ema, Laurel, Malcom, Carter, Jack e Del já fazem parte dos meus personagens favoritos e sempre estarão comigo.

Antes de falar do “Felizes Para Sempre” ( nossa ficou profundo isso, haha), preciso falar do Quarteto de Noivas, da série como um todo. O primeiro livro “Álbum de Casamento” é perfeito, um daqueles romances que amamos amar com personagens extremamente cativantes e situações muito divertidas. Os dois livros seguintes “Mar de Rosas” e “Bem-casados” são bons, mas não me encantaram tanto, esperava mais de ambos, então chegamos ao último livro e assumo que estava bem curiosa por essa história e é incrível, tão bom ( ou melhor) quanto o primeiro da série. 

Parker Brown é a administradora da Votos, mas além de administrar contas, compras planilhas ela administra pessoas e o mais difícil noivas enfurecidas e loucas. Parker vem de uma família muito rica então dinheiro nunca foi problema, foi sua a ideia de abrir a empresa de casamentos com suas melhores amigas e seu objetivo principal sempre foi proporcionar finais ou melhor, inícios felizes através dos casamentos produzidos pela Votos na residência dos Brown, onde foi criada e pode vivenciar todo o amor de seus pais. Ela seria o estereótipo perfeito de rica-esnobe, mas ela é o contrário disso, gosta de trabalhar e de fazer tudo que puder para que nada saia do seu programa. 

"Deixar sua marca, sim, fazendo um bom trabalho, ser uma boa amiga, uma boa irmã, construir algo e compartilhar. E, ao lado de tudo isso, amar e ser amada, fazer uma promessa e aceitá-la. Encontrar alguém e caminhar a seu lado de mãos dadas para tornar real o felizes para sempre."

Uma pequena observação: eu me identifiquei horrores com a Parker, ela é aquela mulher forte e determinada, bem sucedida pelo esforço próprio e que apesar disso tudo, sabe que precisa de um amor para completar sua vida e embora tenha tudo sempre muito bem programado, quando falamos em amor não há nenhuma programação que possa dar conta.

Malcom Savannah é um mecânico, amigo de Del ( irmão da Parker e noivo da Laurel) ele passou por algumas situações bem complicadas em sua vida, mas conseguiu dar a volta por cima e ter sua própria e bem sucedida empresa. Ele gosta de consertar coisas para que elas sempre funcionem de acordo e é também um daqueles Homens (sim, de tirar o fôlego). 

Parker e Mal ficam intrigados um com o outro e começam a fazer coisas que nunca imaginaram. A atração que eles sentem é nítida, mas para isto se tornar algo mais, os dois precisaram querer no abismo, conhecido como amor juntos.

"Quando você encontra alguém que ama, de corpo e alma, e ela o ama, mesmo como suas fraquezas e seus defeitos, tudo começa a se encaixar. E se você pode conversar com ela, e ela o escuta, se ela faz você dar risada, se ela o faz pensar, faz você querer, faz com que você veja quem realmente é, e você e muito melhor estando com ela, então seria louco se não quisesse passar o resto da vida com essa pessoa."

Esse foi o livro perfeito para finalizar o Quarteto e como já estou começando a perceber, os romances da Nora não têm surpresas desagradáveis e fiquei muito feliz por isso, são verossímeis na medida certa e trazem ao leitor toda a magia do amor e os buracos da estrada pela qual temos que passar para chegar até ele, mas sem nenhum acidente grave, o pior que pode acontecer nos romances da Nora é você se apaixonar por alguns (ou muitos) personagens.

E de bônus, para fechar a série com chave de ouro, temos o casamento mais esperado do ano de uma certa fotógrafa excepcional com um professor desastrado.