sábado, 12 de maio de 2018

Safe Review



‘Safe’ é a primeira série televisiva do Harlan em parceria com a Netflix, não é baseada em nenhum de seus livros, é a partir de uma ideia totalmente original do Harlan.

Sinopse: Michael C. Hall é Tom Delany, um cirurgião pediátrico britânico, que após a morte de sua esposa, vive com duas filhas adolescentes, Jenny e Carrie. A família está aparentemente segura dentro de uma comunidade fechada, mas quando a filha mais velha, Jenny, vai à uma festa e ocorre um assassinato seguido do desaparecimento dela, suas vidas mudam completamente. 

Idioma: Inglês, com legendas ou dublado na Netflix
Duração: 8 episódios, em média  45min
Onde ver: Buscar 'Safe' na Netflix, todos os episódios já estão disponíveis

No primeiro episódio conhecemos os personagens e descobrimos que a tal comunidade fechada e aparentemente segura não é exatamente tão segura assim. Os problemas começam quando uma festa de adolescentes é organizada em uma das casas do condomínio, com bebidas e drogas liberadas, todo mundo fica mais feliz que o normal e quando vemos um corpo boiando na piscina da casa, começamos a perceber que as consequências dessa festa serão complicadas.

O portão e os muros foram criados após um incêndio criminoso na escola da região, no qual algumas crianças morreram, essas barreiras foram feitas para deixar os monstros do lado de fora, mas e se os monstros foram aprisionados ali dentro?

A tal festa acaba e Tom Delany percebe que sua filha não havia voltado para casa e uma das principais perguntas da série surge: Onde está a Jenny? Tom, com a ajuda de seu velho amigo Pete, começa a fazer perguntas pela região e tenta refazer os passos de Jenny, onde ela esteve? Com quem ela esteve? Tom havia colocado um programa espião para clonar as mensagens da filha para o seu próprio smartphone, dessa forma, uma certeza ele tinha: Jenny havia marcado de se encontrar com o namorado, o Chris.

Enquanto isso, o humor negro da série fica por conta da família do Jojo, lembra da tal festa, quem havia a promovido fora a Sia, filha do Jojo, ela aproveitou que os pais saíram de casa para comemorar o aniversário de casamento, mas quando ela vê o corpo na piscina, pede ajuda aos pais e a partir disso eles entram numa espiral de decisões erradas, o que é melhor fazer se você não tem culpa? Se entregar ou se encrencar de verdade? Mas não sabemos de fato se Sia tem ou não culpa quanto a tal morte. (Não citei de quem é o corpo para não ser spolier).

Tom visita a casa dos pais do Chris, e percebe que eles não estão preocupados, já que o filho é maior de idade e nunca deu nenhum problema, para eles em breve Chris vai aparecer, mas a família do Chris tem maiores problemas para lidar no momento, a mãe dele, Zoe professora de francês foi acusada de ter um caso com um de seus alunos, e o seu marido fica muito revoltado com a situação, será que ela tem algum envolvimento com o desaparecimento da Jenny, ou sabe do paradeiro de Chris?

A investigação fica por conta da velha detetive da cidade Sophie, e a recém-chegada Emma, uma policial que chegou transferida da cidade grande, que levanta suspeitas do motivo pelo qual ela quis ir para essa região e ainda mais quando tira fotos escondida do melhor amigo do Tom, Pete, qual será o envolvimento dela? Será que sabe mais do que está falando?

Muita aflição em alguns episódios e alguns também são muito emocionantes, a verdade é que o Harlan sabe como fazer a gente se identificar com os personagens e também nos enganar quanto aos culpados dos fatos.

E quando a gente já criou mil teorias, começamos a inventar novas no decorrer de cada episódio: tem o marido da Sophie que parece muito suspeito, será que o melhor amigo do Tom está envolvido? Essa Emma, o que ela sabe? Ou será que é tudo muito simples e a Sia apenas está mentindo? E o Tom, será que ele foi culpado pela morte de sua esposa? O que de fato aconteceu na festa? E afinal, onde está a Jenny?

Em um ritmo frenético, uma linda fotografia e um milhão de fios soltos que fazem a gente querer saber mais e entender o que de fato está acontecendo, e quando vemos já estamos no último episódio da temporada.

Para quem já leu os livros do Harlan, tem algumas referências: a amizade do Tom e Pete lembra a do Myron e Win, tem dois episódios que lembram muito o livro ‘A Promessa’ e algumas outras coisas que apenas quem leu os livros  irá identificar, e fazem a série ainda mais legal pros #HarlanLovers.

Não sabemos se haverá uma segunda temporada, a princípio não, todos os fios soltos se conectam, e o final, como sempre se tratando de Harlan Coben, é surpreendente.

“Ninguém conhece ninguém de verdade”

“Nada fica escondido para sempre. A verdade sempre vem a tona”

Elenco:
  • Os melhores amigos

Michael C. Hall é Tom Delaney, o cirurgião pediátrico que vira quase um detetive em busca do paradeiro de sua filha;

Marc Warren é Pete, o melhor amigo de Tom, que o ajuda na busca pela Jenny;

                                          

  • As detetives
Amanda Abbington é Sophie, a detetive que tenta ligar os fios soltos de todos os acontecimentos no condomínio;

Hannah Arterton é Emma, a suspeita detetive transferida;


        
  • Os pais suspeitos

Nigel Lindsay é Jojo, o responsável pelas cenas mais engraçadas de tão loucas, da série;

Audrey Fleurot é Zoe, mãe do Chris e acusada de envolvimento afetivo com adolescentes;

  • A Desaparecida

Amy James-Kelly é Jenny, e se prepare para se perguntar onde ela está.